terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Obesidade na Velhice

       O que vêm acontecendo nos últimos anos é a transição demográfica da população brasileira, resultando em maior número de idosos no país, o que nos leva a discutir cada vez mais maneiras de melhorar a qualidade de vida dessa população em ascendência.


            Sabe-se que essa faixa etária requer inúmeros cuidados, devido às mudanças que ocorrem no organismo desses indivíduos. A predominância de doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs), como por exemplo diabetes, hipertensão dentre outras, podem ter correlações com o excesso de peso. Daí vem a importância de controlar o peso desse grupo. Porém antes a patologia mais associada a essa faixa etária era a desnutrição, e hoje há um aumento de idosos obesos, os principais motivos que levaram há essa transição nutricional foi a mudança do estilo de vida, que interferem na alimentação e na prática de atividade física.


 
Para a classificação da obesidade em idosos, é usado o IMC, porém sua classificação é diferente, como é mostrado no quadro abaixo :


                                  Lipschitz, 2008

Além do IMC, pode usar também a circunferência abdominal, na avaliação nutricional de idosos.


Das alterações que acontecem nos idosos as que mais interferem no estado nutricional são os seguintes : as modificações na composição corporal ( com diminuição da massa magra e aumento de gordura abdominal), capacidade de mastigação diminuída, capacidade diminuída de absorção dos alimentos, devido a atrofia da musculatura do trato gastrointestinal e a diminuída secreção de ácido clorídrico. Na terceira idade há uma redução da sensibilidade dos gostos primários doces, amargo, ácido e salgado, o que afeta a ingestão de alimentos, uma vez que os sentidos para saciedade também podem estar reduzidos. O uso excessivo de açúcar, temperos industrializados e sal são comuns nas situações de redução da sensibilidade gustativa. O que leva uma diminuição do consumo, ou aumento do consumo de alimentos. Esses fatores estão associado as DCNTS. (Figueiredo,2010)

           Sabe-se que o envelhecimento há inúmeras transformações, como um leve aumento do colesterol, enrijecimento das artérias, e se associado as estes eventos pode haver também um excesso de peso, o que facilita o desenvolvimento de doenças, como hipercolesterolemia, hipertensão dentre outros.

 
             É importante que os idosos tenham cuidado com o peso, para evitar que pequenas alterações causadas pelo envelhecimento se tornem doenças. Além de manter uma boa alimentação desde a infância, para se ter uma velhice melhor, é essencial que durante esse período também se tome cuidado no consumo de alimentos. Não se esquecendo nunca que os exercícios físicos também colaboram e muito para uma vida mais saudável.



Se quiserem mais informações sobre envelhecimento, visite o blog de envelhecimento:


Beeijos e Abraços, Ana Paula Alvarenga.

 
Bibliografia

Cabrera, M.A.S., Jacob ,W.F ; Obesidade em Idosos: Prevalência,Distribuição e Associação Com Hábitos e Co-Morbidades.Arquivo Brasileiro Endocrinologia Metabólica. Vol 45 nº 5 Outubro 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S000427302001000500014&script=sci_arttext&tlng=en

Ana Paula de O. Marques;Ilma Kruze G. de Arruda;Antônio C.G. do Espírito Santo;Maria Cristina F. Raposo ; Mariana Diniz Guerra;Tiago Felipe Sales. Prevalência de Obesidade e Fatores Associados Em Mulheres Idosas. Arquivo Brasileiro Endocrinologia Metabólica. Vol. 49 nº 3 Junho 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abem/v49n3/a17v49n3.pdf

Figueiredo,A.C. Fatores sociodemograficos, comportamentais e de saúde associados á obesidade em idosos no distrito federal.2010.

Um comentário:

  1. Muito bom obrigado por me ajudarem com minha feira de ciencias

    ResponderExcluir